ENTREVISTA COM O SÍNDICO

O Síndico se forma quando une habilidades e conhecimentos à uma forte vontade de atuar em prol de uma comunidade. Apesar de existir cursos para Síndico, a construção de um Síndico Profissional se dá na  prática do dia a dia. Em nossa ENTREVISTA COM O SÍNDICO, vamos conhecer o profissional que se desenvolveu no decorrer de anos de atuação, Raphael Mattoso.

Perfil : Síndico Raphael Mattoso, formado em administração de empresas pela FAE Business School, curso de síndico profissional pelo Centro Tecnológico Positivo, coordenador geral da Síndicos & Síndicos Associados, gerenciamento direto de mais de 2.500 (dois mil e quinhentos) condôminos e 50 (cinquenta) colaboradores.

  1. Na sua opinião, quais devem ser as características para um bom síndico profissional?

Síndico: O síndico profissional antes de tudo deve ter o pleno conhecimento do artigo 22 da Lei 4591/64 e o artigo 1348 do Novo Código Civil, as leis que regem os direitos e obrigações do síndico. O perfil do síndico profissional deve ser de evitar conflitos com os condôminos, procurar não se envolver emocionalmente, encarando os desafios do dia a dia de forma técnica e imparcial. Os condomínios devem ser encarados como uma empresa, assim o síndico profissional não pode se ater somente as questões de conflitos diários entre moradores, é preciso se atentar as manutenções periódicas e preventivas, conforme orientações da ABNT, igualmente zelar pelo equilíbrio do caixa do condomínio, respeitando a previsão orçamentária e as manutenções e melhorias a serem realizadas. O síndico profissional deve ter um conhecimento amplo sobre todas as áreas do condomínio, recursos humanos, financeiro/administrativo, cobranças, inadimplência, manutenções, orçamentos, compras, dentre outros.

  1. Quais são as dificuldades da profissão, no dia a dia?

Síndico: Costumo dizer em palestras e treinamentos, que condomínio é tudo igual só muda de endereço e de moradores. Todos os condomínios enfrentam algum tipo de problema ou conflito a ser resolvido, não encaro isso como dificuldade, pois uma hora ou outra um motor de portão de veículos para de funcionar, um vazamento aparece, uma bomba da caixa de água não funciona e etc. Acredito que para muitos seja um problema, para mim é rotina e de fácil solução, pois ao longo dos anos formei uma lista de fornecedores que estão aptos a atender os condomínios prontamente. Para mim a maior dificuldade está na tecnologia da informação, atualmente vivemos num mundo globalizado, onde as informações são espalhadas rapidamente e de modo geral as pessoas se tornam imediatistas, necessitando de respostas imediatas, principalmente com a criação de grupos de WhatsApp, Facebook e outras plataformas, as quais facilitam e em muitas vezes prejudicam. Explico: para o síndico profissional sites que possam expor balancetes, livros de prestação de contas, informativos e circulares são excelentes para demonstrar a transparência da gestão. Porém, os meios informais de comunicação, muitas vezes espalham noticiais falsas ou equivocadas, sempre terá um morador ou grupo contrário à gestão, que irá tentar influenciar os demais moradores contra o síndico por algum motivo particular ou interesse. Pela minha experiência vejo que existem dois tipos de perfis de moradores em condomínio, “O morador que não entende e procura buscar informações com o síndico ou administradora. E o outro perfil é do morador que não entende e não quer entender mesmo, simplesmente cria suposições e achismos”, esse último perfil citado é o que costuma criar confusão em condomínios e é o desafio dos síndicos saber lidar com esse perfil e mostrar aos demais moradores a transparência e eficiência da gestão.

 3. Pensando em uma Gestão de sucesso, qual deve ser o papel do Conselho e dos condôminos?

Síndico: O condomínio para ter sucesso, deve ter participação efetiva dos conselheiros na fiscalização da gestão e igualmente nas sugestões de melhorias e conflitos a serem solucionados. O conselho fiscal é o braço direito do síndico, esses são geralmente os moradores que o síndico tem mais contato e por sua vez, acabam sabendo dos problemas diários que o síndico enfrenta, auxiliando na tomada de decisão. Os conselheiros, além de sua função fiscal, também são o primeiro acesso que muitos condôminos têm antes do síndico, cabem a eles repassar as informações e as demandas que os moradores solicitam. Para mim o conselho fiscal e consultivo é essencial para o sucesso da gestão, pois são eles os primeiros moradores que irão reivindicar melhorias e apontar problemas a serem solucionados. Ao longo dos anos percebi que para o sucesso efetivo da gestão deve existir harmonia entre síndico e conselho, se existir barreiras entre conselheiros e síndicos, certamente a gestão terá problemas. Por fim, quanto aos condôminos, tenho vivenciado que cada vez mais tem diminuído o número de moradores em assembleias, como citei em pergunta anterior, a facilidade das informações via aplicativos informais, como WhatsApp e Facebook, têm contribuído com essa redução, muitos condôminos não comparecem em assembleias justamente por não quererem se envolver em conflitos ou porque já sabem ou discutiram nos grupos os temas que serão deliberados. É de extrema importância que os condôminos tenham o conhecimento, a assembleia é o único ato de deliberação e aprovação de problemas a serem solucionados e de melhorias a serem concretizadas.  

 4. Qual o papel da Administradora em sua gestão?

Síndico: Existem diversas administradoras no mercado, cada qual com seus aspectos positivos e negativos. Para minha gestão é fundamental possuir uma administradora parceira, que possa me auxiliar e atender as demandas diárias. As administradoras basicamente são um serviço auxiliar ao síndico, normalmente os moradores leigos acreditam que a administradora é somente responsável pelo envio de boletos condominiais, desconhecem os serviços oferecidos, que vão muito além dos boletos. As administradoras com excelência, além dos setores comuns, como financeiro, cobrança e recursos humanos, devem oferecer auxílio em compras e orçamentos, pois é rotina dos síndicos necessitar de apoio para as demandas diárias de manutenções e melhorias a serem realizadas.  Além disso, a administradora deve prezar pela transparência das contas, disponibilizar aos moradores um canal de acesso aos balancetes, livros de prestação de contas, circulares e informativos. O papel da administradora, assim como os conselheiros fiscais, é ser meu braço direito, tenho de ter plena confiança nos colaboradores e que o atendimento a mim e aos condomínios estão sendo exercidos com primazia.

 O #TimeCMCondominium agradece a participação da Síndicos&Síndicos. Na medida que temos uma boa comunicação com nossos Síndicos, feedback e confiança, podemos melhorar nosso trabalho a cada dia. Agradecemos imensamente ao Síndico Raphael Mattoso, a quem tanto admiramos.